Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Instituição
Início do conteúdo da página

Instituição

Última atualização em Segunda, 04 de Janeiro de 2016, 23h50

O decreto presidencial nº 7.566, de 23 de setembro de 1909, institucionalizou o ensino profissional no Brasil. Em 1910, surgiu a Escola de Aprendizes Artífices de São Paulo, assemelhando-se a das criadas em outras capitais de Estado. Destinava-se inicialmente às camadas mais desfavorecidas, aos “deserdados da fortuna e menores marginalizados”, ministrando o ensino elementar. Em 1937, passou a denominar-se Liceu Industrial de São Paulo, oferecendo ensino equivalente ao de primeiro ciclo.

Em 1942, foi promulgada a Lei orgânica do ensino industrial. A nova orientação visava a preparação profissional dos trabalhadores da indústria, dos transportes, das comunicações e da pesca.

O ensino industrial passou a ser composto por 2 ciclos. No primeiro, incluía-se o industrial básico, o artesanal e a aprendizagem. No segundo, o de mestria, o técnico e o pedagógico. O curso de mestria visava a preparação do aluno diretamente para a indústria nos cargos de mestre; o de técnico visava a formação de profissionais para o cargo de supervisão; e o pedagógico, a formação de docentes para o próprio ensino industrial.

Com essa nova forma, instituía-se a Rede Federal de Estabelecimentos de Ensino Industrial, denominados Escolas Técnicas e o Liceu passou a se denominar Escola Técnica de São Paulo. Neste mesmo ano, instalam-se os cursos de nível técnico de mecânica e edificações.

Em 1959, a Lei nº 3.552 reformou o ensino industrial no país. A nova legislação acabou com vários ramos de ensino técnico existentes até então, unificando-os. Por força dessa Lei, a escola passou a denominar-se Escola Técnica Federal de São Paulo.

Em 1968, foi criado o curso de eletrotécnica.

Em 1971, o acordo Internacional entre o governo brasileiro e o Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento preconiza a criação de 6 centros de engenharia de operação, entre eles o de São Paulo. Com esse objetivo, foram iniciadas as obras da nova escola a ser instalada no Bairro do Canindé, próximo ao local onde seriam construídos uma estação de metrô e o terminal rodoviário. A não autorização da instalação do referido centro propiciou a passagem do patrimônio oriundo do acordo MEC/BIRD para a Escola Técnica Federal de São Paulo.

Em 1976, procedeu-se a mudança para a nova sede e, em 1978, criaram-se os cursos de eletrônica, telecomunicações e processamento de dados.

Em 1981, instalam-se os cursos complementares de mecânica, eletrotécnica e edificações, destinados à clientela, em grande parte integrada ao mercado de trabalho, mas que necessitava de uma formalização profissional por meio de disciplinas de nível técnico de 2º grau. Estes cursos técnicos têm a duração de 2 anos, prevendo um estágio obrigatório.

No ano de 1987, foi implantada a primeira Unidade de Ensino Descentralizada (UNED) no Município de Cubatão e, em 1996, ocorreu o início do funcionamento da UNED Sertãozinho. Em 1999, a Escola Técnica Federal de São Paulo, foi transformada em Centro Federal de Educação Tecnológica de São Paulo – CEFET, conforme Decreto de 18 de janeiro de 1999.

A UNED Guarulhos foi idealizada em 1991, no âmbito do PROEP, lançado pelo Governo do Presidente José Sarney, com a celebração de convênio de cooperação técnica entre o Ministério da Educação, a Escola Técnica Federal de São Paulo e a Prefeitura do Município de Guarulhos.

Em 2000, ocorre a assinatura de um novo convênio junto ao PROEP-MEC-AGENDE (Agencia de Desenvolvimento de Guarulhos) para a adaptação do prédio escolar e aquisição de equipamentos.

Durante o período de 2002 a 2006, coube a AGENDE administrar o espaço físico, prédios e equipamentos para o funcionamento do Centro de Educação Profissional e Tecnológica (CPT) de Guarulhos, com o apoio direto da Prefeitura local.

Entre os anos de 2004 e 2005, a Prefeitura do Município de Guarulhos inicia as discussões junto ao CEFET-SP buscando a re-federalização da escola.
Em 2005, o então Ministro da Educação Tarso Genro, assina a Portaria Ministerial nº 2.113, de 16/06/2005, autorizando o CEFET-SP a implantar o funcionamento da UNED Guarulhos.

Em 2006, a UNED Guarulhos do CEFET-SP inicia suas atividades, com a oferta das primeiras vagas para o curso de Técnico em Informática com habilitação em Programação e Desenvolvimento de Sistemas

Em 2007, a escola implementa o curso técnico em Automação Industrial e inicia também os cursos de Qualificação Básica, voltados de maneira exclusiva aos alunos da rede pública de ensino.

No segundo semestre de 2008, a UNED Guarulhos abre inscrições para o ensino superior nas áreas de Informática e Acadêmica. Em 29/12/2008, conforme a Lei nº 11.892, o CEFET-SP torna-se Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) e a UNED Guarulhos, Câmpus Guarulhos. O IFSP torna-se parte da rede de instituições federais voltadas à pesquisa, com status de universiade.

O Câmpus Guarulhos, localizado na Avenida Salgado Filho, 3501 apresenta infraestrutura composta por salas de aula teóricas, laboratórios de: informática, redes, eletricidade, instalações elétricas, metrologia, materiais, energia, hidráulica/pneumática, eletrônica e oficina mecânica.

O Câmpus Guarulhos oferece 40 vagas semestrais para os cursos técnicos de nível médio, nos períodos vespertino e noturno, Licenciatura em Matemática no período matutino, Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas no período noturno e Tecnologia em Automação Industrial nos períodos matutino e noturno, com ingresso de forma alternada.

O Câmpus Guarulhos funciona de segunda à sexta-feira das 7h às 23h e aos sábados, das 7h às 16h. Seu corpo docente é constituído por 61 professores e 35 técnico-administrativos.

Dessa forma, o Câmpus Guarulhos espera tornar-se uma referência no ensino técnico da região, participando ativamente no processo de aquisição cultural e no desenvolvimento do município que tem o 2° maior PIB da região metropolitana de São Paulo * .
*: Fonte: Dados básicos IBGE - PIB a preço de mercado corrente 2002. Dados extraídos do site Oficial da Prefeitura de Guarulhos acessado em maio/junho de 2007.

Fim do conteúdo da página